Relatórios Financeiros e os Reguladores de Mercado

O Papel dos Reguladores

Uma das vantagens do Investimento em Acções é a transparência exigida às empresas de capital aberto, ou seja, cotadas em bolsa. Convém termos presente que as bolsas de valores têm como propósito o financiamento das empresas cotadas, que ao venderem partes do seu capital social aos Investidores, títulos de dívida, etc., obtêm o pretendido capital.

 

Para conferir segurança e confiança aos Investidores nos mercados financeiros, existem entidades reguladoras. Em Portugal temos a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), nos Estados-Unidos a Securities and Exchange Commission (SEC) e, no Brasil, actua a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

CMVM
Sede da CMVM, reguladora do mercado de produtos financeiros português.

 

Com o intuito de proteger os Accionistas, as empresas cotadas são então obrigadas pelos reguladores a divulgar informação relativa à sua actividade, sejam os relatórios financeiros periódicos, seja a aquisição ou venda de acções por parte de membros do Conselho de Administração (considerados insiders), comunicar desenvolvimentos relevantes, etc.

No que se refere às empresas cotadas nos Estados Unidos, a SEC exige a publicação obrigatória dos seguintes relatórios:

 

10-K

Relatório anual uniformizado e auditado entregue pelas empresas cotadas nas bolsas dos Estados Unidos. Todas as empresas cotadas nos Estados Unidos e analisadas pela nossa equipa publicam esta categoria de relatórios. Os 10-K são considerados mais imparciais do que os relatórios anuais publicados pelas empresas devido às regras impostas relativas à sua elaboração, nomeadamente o facto de serem auditados. Contemplam 7 secções distintas:

  • Business:  Visão global das operações da empresa, dos seus serviços e produtos;

 

  • Risk factors: identificação de riscos às operações da empresa, normalmente ordenados pela sua importância;

 

  • Selected financial data: métricas financeiras relevantes referentes aos últimos cinco anos de operação da empresa;

 

  • Management’s discussion and analysis (MD&A): discussão e análise da situação financeira e dos resultados obtidos. É a secção que permite a Equipa de Gestão explicar, nas suas palavras, a informação constante nas restantes secções.

 

  • Financial statements and supplementary data: secção onde constam os três relatórios financeiros obrigatórios: a demonstração de resultados, o balanço e a demonstração de fluxos de caixa (cash flow). Os relatórios financeiros são auditados.

 

10-Q

Relatório trimestral uniformizado entregue pelas empresas cotadas nas bolsas dos Estados Unidos. Todas as empresas cotadas nos Estados Unidos e analisadas pela nossa equipa publicam esta categoria de relatórios. Ao contrário do 10-K, o 10-Q não é auditado. De referir também que apenas são publicados três relatórios trimestrais (totalizando 9 meses de operação), sendo o ciclo fechado com a publicação do 10-K, assim relatados os 12 meses de operação da empresa.

 

8-K

Relatos pontuais, não periódicos, em que as empresas cotadas nas bolsas dos Estados Unidos comunicam eventos relevantes para os seus accionistas. Nos 8-K pode constar variadíssima informação, desde alterações à Equipa de Gestão, aquisições e vendas, depreciações de activos, etc.

 

Retenha os aspectos mais importantes deste artigo:

  1. A actividade das empresas cotadas em bolsa é regulada por uma entidade competente para o efeito;
  2. As empresas são obrigadas pelos reguladores a publicar documentação relevante para os seus accionistas, sob a forma de relatórios financeiros;
  3. Os relatórios financeiros são extensos, mas são essenciais para si, potencial investidor na empresa;
  4. Uma análise fundamental completa requer o estudo dos relatórios financeiros da empresa (e dos seus concorrentes), com o intuito de obter o máximo de informação relevante possível.
Partilhe com outros investidores
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram

Artigos Relacionados

A melhor estratégia de investimento em acções

Como ensina Warren Buffett, Charlie Munger, Bruce Greenwald, entre outros, só há duas formas de superar (de forma sustentável) os índices de mercado a longo prazo. Conheça-as neste artigo.

Qual o valor intrínseco de uma acção - Investidor Prudente

Qual o valor intrínseco de uma acção?

Muitos subscritores questionam-nos acerca do valor intrínseco das acções publicadas no Prudente. Neste artigo, é tratada a abordagem do método do yield (net payout) – a remuneração que os accionistas recebem em forma de dividendos e buybacks.

Iniciar Sessão
Não tem conta?

Se ainda não tem conta de subscritor utilize esta opção para aceder ao formulário de registo.

Registe-se gratuitamente e aceda a conteúdo exclusivo.

ebook-manual-do-investidor-prudente-v2
download ebook grátis

O Manual do Investidor Prudente

Quer saber como proteger e fazer crescer as suas poupanças?