Procurar
Close this search box.
Investidor Prudente - melhores ações

Análises

Costco, a rainha americana do “wholesale”

A Costco Wholesale opera no mercado grossista com produtos de marca nacional e de marca própria, entre outros, numa ampla gama de categorias. A empresa goza de muito prestígio na comunidade – as pessoas reconhecem a eficiência “low cost” dos seus armazéns. Tanto assim é que a taxa de renovação de membros (clientes fidelizados) é altíssima:
– 91% nos EUA e Canadá (em 2020)
– 88% no resto do mundo (em 2020)

Mas já se costuma dizer que o bom sai caro!

United Parcel Service… a tal UPS

A United Parcel Service (“UPS”) foi fundada em 1907 com um empréstimo de $100. É uma das maiores empresas de logística do mundo, distribuindo diariamente mais de 20 milhões de remessas em mais de 200 países.

Os seus serviços incluem:
– transporte terrestre, marítimo e aéreo
– distribuição
– logística
– despacho aduaneiro
– seguro

Mas um bom negócio não pode ser comprado a qualquer preço!

Broadcom, omnipresente na internet

A Broadcom é uma empresa que nasceu em Singapura, tendo sido redomiciliada (transferência da sede, direcção efectiva e residência fiscal) para os Estados Unidos em Abril de 2018. A companhia projecta, desenvolve e fornece uma ampla gama de (1) semicondutores e (2) software de infra-estrutura.

Cerca de 99,9% de todo o tráfego da internet (“box’s” das televisões por cabo, inclusive) cruza-se pelo menos com um chip da Broadcom. Vejamos a avaliação do preço das acções…

Danaher, um conglomerado transnacional

A Danaher é um conglomerado composto por mais de 20 empresas com posições de liderança nos sectores da saúde, do ambiente, entre outros. A empresa tem três segmentos operacionais:

– Ciências da Vida (48% da receita total)
– Diagnóstico (33% da receita total)
– Soluções Ambientais e Aplicadas (19% da receita total)

As instalações de pesquisa e desenvolvimento, fabricação, vendas, distribuição, serviço e administrativas estão localizadas em mais de 60 países. É verdadeiramente uma excelente empresa global!

A Merck & Co. desistiu da corrida

A Merck & Co. desenvolve medicamentos prescritos, vacinas, terapias biológicas e produtos de saúde animal. As suas operações estão divididas em 2 segmentos:
– Farmacêutico
– Saúde Animal

É interessante apanhá-la somente quando a cotação cair para níveis historicamente baixos, como demonstro na análise do “yield”.

Accenture e a exuberância do presente

A Accenture é a maior empresa de consultoria do mundo, actuando nas áreas da consultoria de gestão, tecnologia da informação e outsourcing.

Nos últimos anos, a performance as acções, da receita e do lucro foi impressionante. É, sem dúvida uma boa empresa, com bons rendimentos.

Só o preço é que não é bom.

AbbVie, a costela da Abbott

A AbbVie é uma companhia biofarmacêutica que investiga e desenvolve terapias para algumas das doenças mais complexas e graves a nível mundial. As suas acções começaram a ser negociadas em Nova York em 2013, após o “spin-off” da Abbott Laboratories.

Apesar dos seus resultados operacionais serem conhecidos desde há muito, nas contas da Abbott, a informação bolsista é recente.

PepsiCo: tréguas ou pazes?

A PepsiCo é uma das empresas líderes do sector de alimentação e bebidas a nível mundial. A empresa é dona de marcas como a Pepsi, 7UP, Lipton, Ruffles, Cheetos, Doritos, etc..

O que fazer às acções da PepsiCo?
(atenção à camada discursiva da pergunta – após a leitura da análise terá de ser respondida pelo próprio investidor)

Mas digo já: é um bom investimento para uns e mau para outros!

O que fazer à AT&T após o spin-off?

A AT&T, anteriormente conhecida como SBC Communications (1920), foi incorporada em 1983. É a maior empresa de telecomunicações americana, em termos de receita (embora a Verizon tenha, actualmente, uma capitalização bolsista superior).

A empresa vai realizar a separação (spin-off) da WarnerMedia e fundi-la com a Discovery.

Os investidores da AT&T receberão acções da nova empresa equivalentes a 71% do capital, enquanto os investidores da Discovery controlarão os 29% restantes. Além disso, a empresa vai reduzir metade dos seus dividendos para compensar a distribuição das novas acções, e isso fez tombar as acções.

Vejamos as perspectivas futuras…

A Chevron não corta o dividendo desde 1934

A Chevron Corporation é a segunda maior companhia petrolífera americana. A sua receita deriva dos segmentos “upstream” e “downstream”.

A empresa paga dividendos todos os anos desde 1934, e o crescimento dos dividendos ocorre há 34 anos, fazendo da Chevron uma Dividend Aristocrat.

Até quando esta “aristocrata” irá manter o crescimento dos dividendos? Será isto sustentável?

Oracle e o poder do Java

A Oracle é uma empresa tecnológica muito conhecida pela sua linguagem de programação – JAVA.

A companhia está num sector em constante inovação e enfrenta competição de algumas das maiores empresas do mundo, como a Amazon, Microsoft, IBM, Intel , Cisco, Adobe, Alphabet (Google), SAP, Hewlett-Packard, Salesforce.com, entre outras. O baixo crescimento e o aumento do endividamento preocupam-me.

Vamos ver o valor intrínseco do negócio…

Eli Lilly, a pagar dividendos desde 1885

Os dividendos da Eli Lilly crescem a uma taxa média de 5,8%.

A empresa paga dividendo desde 1885, e é possível que nos próximos 10 anos os dividendos cresçam à mesma taxa das últimas décadas.

Mas uma boa empresa, que produza bons rendimentos, não pode ser comprada a qualquer preço. Vou explicar porquê.

mockup-ebook-guia-fiscal

GRATUITO

O Guia Essencial para o seu IRS

INICIAR SESSÃO